Porque as empresas quebram?

 

Temos vivido tempos de incertezas, tempos de crises econômicas espalhadas por todo o planeta e não seria diferente no nosso sofrido Brasil mas, não só por isso as empresas quebram.

 

Boa parte dos problemas empresarias se formam pelo simples fato de as lideranças, incluindo neste perfil, supervisores, coordenadores, gerentes, diretores e evidentemente os empresários, não darem, por vezes, atenção aos pequenos sinais de fragilidade que os departamentos transmitem diariamente.

Como uma doença, esses pequenos sinais vão aumentando de tamanho e suas consequências acompanham o ritmo e, caso não sejam tomadas decisões corretivas rapidamente, esses sinais tornam-se problemas graves e por vezes irreversíveis.

Frequentemente empresas e empresários nos procuram para podermos assessorá-los na busca pela solução de seus problemas de gestão e, não raro, encontramos empresas, departamentos e pessoas, com situações relativamente graves e já sem condições de resolverem sozinhos. Quase sempre essas situações tiveram início de forma bastante simples, mas o tempo pode ter tornado o sinal de problema em algo intransponível.

Como em qualquer empresa todos os departamentos devem se inter-relacionar de forma a tornar o fluxo de tarefas ágil e eficiente. Na prática, onde termina o trabalho de um departamento ou função, se inicia o do outro e assim sucessivamente.

O fato é que nem sempre isso ocorre de maneira eficiente e processos de trabalho tornam-se lentos e muitas vezes chegam a não andar, imprimindo ineficiência e como consequência os resultados operacionais tornam-se caros, inviabilizando o negócio.

Como se não bastasse, o mercado é cada vez mais concorrido, por vezes desleal e, as pressões por preços mais baixos podem piorar os resultados das empresas que já não são mais tão eficientes.

De forma paliativa, na maioria das vezes, as empresas recorrem a bancos para captar recursos a fim de poder sanear as finanças já fragilizadas pelo tempo e pelos processos ineficientes. Por questões de oportunidade, muitas vezes o crédito concedido não é o ideal para a necessidade, porém pela urgência, tomam-se empréstimos que podem piorar a situação.

Esses são alguns dos muitos problemas que as empresas enfrentam diariamente e que quase sempre se iniciaram em pequenos sinais não percebidos ou simplesmente ignorados pelas lideranças.

Para construirmos empresas sólidas, rentáveis e que sirvam de referência no que fazem, é preciso atenção aos pequenos detalhes, tomar decisões rápidas e assumir a responsabilidade por planejar sempre dias melhores, pois nada que existe permanecerá sempre tão bom ou ruim como hoje.

Desta forma, entendemos que as empresas quebram principalmente pela inoperância de seus gestores nos momentos adequados, buscando soluções criativas e eficazes para resolver seus problemas.

Acompanhe nosso blog que trará semanalmente alternativas para soluções dos pequenos sinais diários que nossas empresas nos dão.

Para terminar, uma frase para reflexão:

“Divide as dificuldades que tenhas de examinar em tantas partes quantas for possível, para uma melhor solução”.

(René Descartes)

Tenham todos um ótimo final de semana.

Alex Ferreira

Egrégora Consultoria.

 



Deixe uma resposta